sábado, 24 de junho de 2017

Vamos às Compras?! #16

Nunca conseguiremos compreender realmente o que vai na alma de quem passou pelo sofrimento de um incêndio sem fim. Dificilmente será recuperado muito do que foi reduzido a cinzas. Muitas vidas foram interrompidas no desespero das chamas. Pedrógão Grande ganhou, para sempre, um luto pesado. Acontecimentos dramáticos como este são uma espécie de lembrete para a efemeridade da vida e, por isso, é urgente vivê-la da melhor forma. 

Hoje, esta rubrica é dedicada à solidariedade que caracteriza todos os portugueses.


COMO AJUDAR?


CONCERTO SOLIDÁRIO


No dia 27 de Junho, pelas 21h00, o Meo Arena recebe um concerto de homenagem às vítimas dos fogos florestais em Pedrógão Grande e zonas limítrofes e de angariação de receitas para reforço da ajuda às populações afetadas pela que é já considerada uma das maiores tragédias na história do nosso país. A receita obtida será entregue à União das Misericórdias Portuguesas. Os bilhetes, a partir de 15 euros, já se encontram disponíveis em blueticket.pt e nos pontos de venda Fnac, Worten, El Corte Inglês, The Phone House, Pagaqui, ACP e Turismo de Lisboa.
Photo: Google

LINHA SOLIDÁRIA RTP/MEO


Pode ajudar através da Linha Solidária RTP a favor das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande, ligando para o 760 200 600 (0,60€ + IVA). O valor do donativo é de 0,60 euros. Se preferir pode contribuir através da conta solidária criada para o efeito - IBAN: PT50 0035 0001 00100000330 42.


Photo: Google

LINHA ABERTA DO ALOJAMENTO 144


A Linha Nacional de Emergência, através do nº 144, disponibiliza apoio psicossocial e os contactos dos centros de acolhimento disponíveis próximos da zona de Pedrógão Grande.


Photo: Google


EM PEDRÓGÃO GRANDE
A Santa Casa da Misericórdia recebe alimentos e os Bombeiros Voluntários os restantes donativos, bem como alimentos para animais de estimação.

EM CASTANHEIRA DE PERA
Nos Bombeiros Voluntários são aceites alimentos, enquanto os restantes donativos devem ser entregues no Pavilhão Gimnodesportivo.

EM FIGUEIRÓ DOS VINHOS
Os donativos são recebidos no Pavilhão Gimnodesportivo das Bairradas.

SER VOLUNTÁRIO
A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro apela aos voluntários para se dirigirem às Câmaras Municipais "para serem devidamente identificados e para que o seu contributo possa ser enquadrado nas operações que se estão a desenvolver".

Photo: Google

terça-feira, 20 de junho de 2017

GRS | Quem diz é quem é!

Judite de Sousa está a fazer correr rios de tinta. Isto porque, a propósito de um direto sobre a tragédia de Pedrógão Grande, decidiu:

(1) ...comparar o número de mortos com a tragédia de Entre-os-Rios;
(2) ...sugerir a demissão da Ministra;
(3) ...fazer o direto ao lado do corpo de uma vítima.

Parou tudo!!! "Ao lado do corpo de uma vítima?!", perguntam vocês.
Exato...

Aliás, a juntar ao cenário dantesco ficou registado o comentário da jornalista (?): "Está um corpo aqui ao meu lado, de uma senhora, que ainda não foi recolhido, apesar de os bombeiros se encontrarem muito perto deste local”. Ou seja, não sabendo mais nada, diria que há aqui um péssimo serviço dos bombeiros, que já deveriam ter recolhido os corpos todos, a fim de evitar esta exposição que a Judite não conseguiu/pôde/quis (riscar o que não interessa) deixar passar em branco.

Como é óbvio, caiu-lhe tudo em cima. O Twitter andou nas horas e, por todo o lado, profissionais e amadores deixaram duras críticas à prestação da jornalista (?). E, claro, os dedos apontaram-se àquela que, infelizmente, há pouco tempo perdeu um filho de forma trágica e pediu respeito e privacidade à imprensa.



Verdade seja dita que ela também não teve muito sossego naquela altura, mas isso não justifica que sejamos o oposto do que dizemos. A meu ver, foi um episódio lamentável de alguém que não está a cumprir com rigor a sua função e precisa de ajuda.

Infelizmente, esta triste situação foi também mais um reflexo da nossa sociedade. Muitos foram aqueles que criticaram a exposição do corpo daquela vítima, o horror de se ver um morto ali ao lado, o desrespeito por todos os que viveram a tragédia... e a compor o post lá estava a fotografia daquele mesmo cenário! Sério?! Entre tantos exemplos (de pessoas mais e menos conhecidas), fica o registo de uma jovem que publicou uma imagem daquele momento e escreveu em letras garrafais (o que, em Internetês, significa gritar): "PARTILHA ESTA VERGONHA!!! NÃO VALE TUDO NO JORNALISMO!!!".

Pergunto: E na vida...vale tudo?!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

E tu, foste à Feira do Livro?!

Depois de uma pequena pausa para ganhar novo fôlego, decidi voltar a colaborar no projeto ACMA (ver aqui), que nos desafiou durante os meses de maio e junho a falar sobre FESTAS!
A época é propícia à temática, mas como devem calcular agarrei-me logo àquela que (para mim) é a grande festa do ano: Feira do Livro de Lisboa de 2017! E, agora, sim... fresquinho, fresquinho... vamos fazer o rescaldo do evento!
Segundo a organização do evento, foi a "maior feira do livro de sempre" e a adesão também foi grande: antes do fecho, previa-se ultrapassar o valor recorde de meio milhão de visitantes registado em 2014.

Confesso que não fui tantas vezes quantas queria. Quem leu isto aqui, também já percebeu que era menina para estar lá batida todos os dias. Não vivo em Lisboa, por isso não aconteceu. Fui no início da feira, em jeito de fuga, depois de jantar, logo posso-vos garantir que às 23h dava perfeitamente para circular e namorar os livros à vontade. Aproveitei para trazer um dos livros do dia, que estava na minha lista; entretanto, deu-me para o sentimento e acabei por trazer outro para lhe fazer companhia. Enfim, é como entrar numa loja de doces. Por sorte, a feira já estava a encerrar e eu tive de me pôr a andar...


Infelizmente, não consegui voltar tão cedo como desejava, a não ser no último dia. Conhecendo a afluência, decidi acordar cedinho e aproveitar a manhã para dar a volta oficial (e à luz do dia) pela Feira do Livro de Lisboa.


Embora tentasse fugir às horas de maior calor, este também acordou cedo. Foi um passeio fantástico, mas muito sofrido, pois o calor era insuportável (valeu-me a abençoada água termal em spray que trago sempre na mala). Uma pausa pequenina para comer e beber (muito) algo...


Baterias carregadas, lá voltei à perdição e fui riscando títulos da lista. Aproveitei para comprar os livros obrigatórios para o próximo ano letivo da loira mais nova, porque realmente é uma excelente oportunidade para investir e poupar uns trocos.
Pelo caminho, estive à conversa com o promotor da BIC sobre o projeto BIC KIDS, que pretende ajudar a trazer a criatividade para a relação alunos e professores. Obrigada pelas canetas!


E estas vão ser as próximas apostas na leitura cá em casa.
Já conhecem algum dos livros? Contem-me tudo!

--- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- ---
Blogs Fundadores do Projeto ACMA

Qualquer blogger ou youtuber que queira juntar-se ao projeto ACMA - A Cultura Mora Aqui basta enviar um e-mail para corsemfim@gmail.com. Ficamos à vossa espera!

sábado, 17 de junho de 2017

Vamos às Compras?! #15

Com este tempo, os grandes herois são aqueles que conseguem fazer algo de produtivo. A maioria certamente vai querer estar de molho.
Oficialmente, o verão ainda não começou, mas parece que as altas temperaturas não quiseram esperar... É hora de ir a banhos!



(clica nas imagens para mais detalhes)

| Protetor Solar Rosto Piz Buin - AMAZON | Biquini ATD - SPOTZONE | Saco de Praia Rip Curl - SPORTZONE |
Chinelos SixtySeven - PROF | Toalha de Praia Vertty - MINTY SQUARE | Óculos de Sol Komono - MINTY SQUARE |
| Bola Rugby Praia - SPOTZONE |

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Quando se Come Trump(a) às Colheradas!


Lembro-me de ter os meus 10 anos e passar as férias inteiras enfiada na praia. Nessa altura, não havia grande alarido com proteção solar, sabia-se que deveria haver uma maior cautela entre as 13h e as 15h e era justamente neste período que nos obrigavam a ficar à sombra (dorme a sesta e é se queres vir à praia!) até porque o grande perigo era a digestão.
Hoje, vinte anos (e uns pozinhos) depois, é praticamente um crime alguém expor-se ao sol sem proteção solar, sendo que o horário mais crítico passou a ser entre as 11h e as 17h. A digestão passou a ter uma importância relativa (e cada vez mais cedo as crianças/adolescentes passaram a ser imunes à sesta).

Lembro-me de ouvir, naquele tempo, a previsão de 30 e tal graus e "ó, meu deus, que amanhã não se vai poder andar na rua!". Hoje o pensamento ainda é este quando ouvimos as previsões, mas estas rondarem os 40 graus já começa a ser normal.

Não sei mais do que isto. Não sou cientista, nem ando por dentro das investigações climáticas. A temperatura tem aumentado ao longo dos anos e tenho como fundamento apenas a minha memória e as minhas vivências. E não é preciso ser muito inteligente para perceber que isto tem consequências desastrosas para todos os que vivem neste planeta.

Donald Trump diz que isto não passa de um mito e, por isso, deixou o Acordo de Paris para os crentes. Foram várias as teorias que me assolaram para justificar a posição do presidente norte-americano. Partilho carinhosamente (e por ordem cronológica):

1. Será que ele come bosta (fezes, se preferirem, porque m**rda é para os pobres) à colherada em jejum, antes de nascer o sol, ou há ali algum déficezinho cognitivo não diagnosticado atempadamente?

2. Será que viveu toda a infância dentro de uma redoma climatizada e, por isso, nunca teve a oportunidade de criar memórias para a vida, como levar uns bofardos para sentar-se à sombra ou umas galhetas para dormir a sesta por causa da digestão?

3. Será ele afinal um homem muito inteligente que, olhando apenas aos interesses financeiros da America Great Again (esqueceram-se de o avisar que para o hemisfério sul também há América, o que me leva novamente à primeira teoria...), conta com a ignorância do povo norte-americano para implementar os seus caprichos ideais e com o sentido de responsabilidade humanitária dos outros povos para se preocuparem com um problema que é de todos?

4. Terá ele já comprado e equipado um novo planeta para viver com as suas Trumpinas e respetivo staff (até porque há que manter as Trumpinas e as suas necessidades)?

Ok, esta última já é divagação, mas não podemos descartar a hipótese, até porque se o Trump alguma vez teve curiosidade em ver filmes americanos, deve ter reparado que as desgraças acontecem todas por lá...

Em todo o caso, se estiver a pensar em fugir para Portugal (como já vai sendo moda entre os famosos), só lhe desejo uma coisa: um dia inteiro ao sol, sem proteção, na praia da Arrábida, com direito a um mergulho de chapa depois de uma feijoada à transmontana!!!

sábado, 10 de junho de 2017

Vamos às Compras?! #14

Hoje as compras são feitas em português, numa espécie de comemoração do Dia de Portugal, este pequeno grande país à beira-mar plantado! E se temos tanta (e boa) produção tuga... Upa, upa!







(clica nas imagens para mais detalhes)

| Chávena Heterónimos - VISTA ALEGRE | Triquini - ONDHAMAR | Anel ajustável - CAROLINA CURADO |
| Mala Grace - MANJERICA | Casaco estampado - DUARTE | Loção corporal "Madrigal" - CLAUS PORTO |
| Sandálias Soca "Janis" - XUZ |

terça-feira, 6 de junho de 2017

Pérolas do meu Rosário #14

Há duras verdades na História que não escapam aos olhos das minhas pérolas!

Em 1908, mataram o rei D. Carlos e o seu herdeiro. Quem se lixou foi D. Manuel II, que desabafou, não a dor do luto, mas o sofrimento de ser o "resto" da monarquia...

Pérolas

E o "resticídio" dá-se naquele belíssimo dia em que dos céus surge uma imagem, não de Fátima, mas da República, aquela moçoila esbelta, de mama ao léu, até hoje incompreendida.

Pérolas

A educação é isto: uma eterna partilha de conhecimentos...

Pérolas

100 Mil Xi-Corações Apertados e Fofuchos!

Hoje, assim como quem não quer a coisa, o contador de visitas do blog ganhou mais um algarismo: 100 MIL VISITAS!!!

Um tchim tchim coletivo e um enorme OBRIGADA a todos os que estão desse lado, mesmo os que vieram por engano!

Mil

Sugestões e ideias (bem doidas, de preferência) serão sempre bem recebidas.
Usem e abusem do e-mail e/ou da caixa de comentários abaixo!
Vamos aos 200 mil?!

O Pecado Mora Aqui #6

Marisqueira UMA

Sim, é mesmo este o nome. E fica num pequenino recanto escondido em Lisboa. E o serviço é simplesmente...sui generis! Se tem como prioridade um atendimento simpático, atencioso e agradável, não vale a pena a visita. Se gosta de apreciar boa comida, então este é o sítio certo. Dificilmente conseguirá as duas coisas...

Quando se trata do melhor Arroz de Marisco do mundo e arredores, minha gente, é como alguns dizem: "me bate que eu gosto" (ler com sotaque brasileiro)! Penso que é o único sítio onde regresso, mesmo sabendo que posso levar com uns gritos logo à entrada do restaurante... Sim, na última visita, tive de acalmar um italiano que estava estupefacto à porta, depois de ter sido posto na rua por não haver mais mesas! "Vão-se embora, que já não há lugar!", acompanhado de um tom bairrista e de todo um gesticular que é como quem diz isto não é a casa da Maria Joana!.

Os grandes foodies chamam-lhe "atendimento execrável e inadmissível"; eu gosto de lhe chamar "peculiar espírito lisboeta", que acaba por ser característico do espaço. Depois de conhecermos, torna-se tão engraçado e já não conseguimos imaginar outra forma de atendimento que combinasse tão bem. É isso que a torna UMA marisqueira entre tantas. Isso e o arroz de marisco, que é guloso e um dos maiores pecados que por aí andam (ainda não consegui tirar uma foto antes de o tacho ser atacado, mas fica a promessa...).

Pecado

O preço é acessível e aconselho vivamente um telefonema prévio a reservar (não falhem a hora marcada!). Porque, como poderão confirmar, não há refeição que a porta não esteja apinhada de gente a querer mesa. A verdadeira prova de que, na verdade, a conquista faz-se pela barriga!

domingo, 4 de junho de 2017

#semanaemrevista 22 | Cusquices, Saúde e Palcos

1. No mercado é que é!
Quem conhece, sabe do que falo. O Mercado do Livramento, em Setúbal, é irresistível... E não me refiro apenas aos produtos frescos e à combinação de cheiros que nos dão vontade de ir a correr tirar um curso de culinária com os melhores chefs. Há todo um espírito sadino que nos alegra o dia...
Era manhã quando fomos deambular pelo mercado (só) para comprar um peixinho para assar no forno. Veio o pargo, vieram as sardinhas, veio a garoupa, os camarões de rabo azul (ah, pois é... google it!), as amêijoas, a melancia, os kiwis, as cerejas, os coentros... and so on. Parecia eu que tinha entrado na Louis Vuitton com um vale oferecido pelo Cristiano Ronaldo!
Numa das bancas, enquanto aguardava, fiquei a saber que fulana levava porrada do marido, o que pelos vistos é algo que agora aprecia bastante: "ó p'ra ela toda arrebitada a andar por aí como se fosse a rainha do pedaço". Isto porque o que conta é o dinheiro: "antes chorava-se a olhar p'ro peixinho, coitadinha que levava nos cornos, que não tinha muito para gastar; agora é vê-la a levar tudo e a passar os dias inteiros no Alegro, toda composta... Ainda dizem que elas não gostam de levar, assim até eu levava!". Meus amigos, não há hipermercado que supere isto. Peixe fresco e noticiário da aldeia?! Nah!!!

semanaemrevista


semanaemrevista

2. Veterinário e a Leishmaniose
Lá fomos nós para a última "pica". Que é como quem diz, levar a Joy ao doutor para desassossegar a sala de espera inteira e, no final, levar uma vacina como se nada fosse, enquanto eu tenho um fanico.
Ora bem, esta foi a última leva para proteger a cadela mais fofi do mundo da Leishmaniose, uma doença que não queremos que chegue aos nossos mais-que-tudo de quatro patas. Transmitida através da picada de um insecto (facilmente confundido com o mosquito), é potencialmente fatal para os cães. E para quem vive no meio rural, o risco é maior, por isso não há como relaxar acerca disto.
Ainda que implique alguns custos (não comparticipados pelo Estado), penso que é daquelas medidas em que devemos investir. Como se costuma dizer, a saúde é uma prioridade, por isso devemos cuidar de TODOS os membros da família.

semanaemrevista

3. Feira do Livro de Lisboa 2017
Quem acompanha o blog, sabe que este é O evento do ano, para mim! Começou esta semana e, claro, já lá fui apalpar o terreno... Este mês voltarei a colaborar com o projeto ACMA (A Cultura Mora Aqui), por isso voltarei a este assunto, no final do evento, para vos contar tudo! Entretanto, passem por lá e vão acompanhando as novidades no Instagram :)


semanaemrevista

4. Seagull | Let's Rock!
Todos os anos a mítica discoteca Seagull, que se situava junto ao rio Sado, em Setúbal, antes de fechar as suas portas há alguns anos após um incêndio, promove um evento para relembrar os velhos tempos da malta dos anos 80 e 90.
Este ano o mote foi "Let's Rock!" e teve como "palco" o Porto de Setúbal. Para além de ser sempre uma festa que vale a pena pelo reavivar de memórias, é também o grande momento para reencontrar velhos colegas e amigos. [nota: este ano esticaram-se no preço, não?!]

semanaemrevista

5. A Bela e o Monstro
Já há algum tempo que não ia ao teatro, mas hoje a mommy arrastou-nos até ao Fórum Luísa Todi para assistir à peça da Yellow Star Company, A Bela e o Monstro. E foi muito bom. Em musical, como eu gosto, não fugindo muito à história original, mas com alguns apontamentos muito interessantes. Destaque (em grande e em bom) para a Elsa Galvão, que mostra como se cria e se dá vida a uma personagem. Excelente expressão corporal (e voz lindíssima) da Carolina Puntel.

semanaemrevista

sábado, 3 de junho de 2017

Vamos às Compras?! #13

Fim de semana prolongado, com direito a pouco descanso!
O que não impede de respeitarmos o dress code que este fim de semana exige. E na ordem do dia está...o revival das músicas da nossa vida!

[introduzir jingle/slogan da M80]




(clica nas imagens para mais detalhes)

| Blusa Branca - ULLA POPKEN | Jeans Básicos - PEPE JEANS | Clutch Natural - R STUDIO |
| Brincos - ANNE WEYBURN | CD Rock Legends - FNAC | Sandálias - PEPE JEANS |
| Colar ajustável - MMUTT | Base Disco Vinil - FNAC |

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Livros, Crianças e Day Off... ou mais um Dia de Natal?!

Para aliviar a ansiedade de todos os que adoram o Natal como eu, existem alguns dias ao longo do ano que nos trazem aquela magia única de dezembro. E hoje é um desses dias! Ora vejamos...
  1. Comemora-se o Dia Mundial da Criança!
  2. O meu município (a linda vila de Palmela) celebra o seu feriado!
  3. Começa hoje a 87ª Feira do Livro de Lisboa 2017!
É ou não é Natal?! Há lá coisa melhor do que não ir trabalhar, ficar a saltar nos trampolins, enquanto se navega no fantástico mundo das histórias?! Além disso, é o primeiro dia do mês que nos traz o Verão... é muita emoção junta, não há coração que aguente!!! Mas calminha com o andor...não nos podemos dispersar nesta loucura!

Dia

Falemos da Feira do Livro de Lisboa e, fait attention, minha gente natalícia, que isto é assunto para ser levado muito a sério: toca a tirar apontamentos!

1 a 18 de Junho
É o período em que podem ir até ao Parque Eduardo VII visitar a Feira do Livro, por isso metam férias, digam ao patrão que estão de quarentena ou arranjem um atestado médico, mas desenrasquem-se!

Quem? Onde? Quando?
Para conhecerem a agenda deste evento, basta acederem aqui e explorarem o que vos interessa: livros, escritores, workshops, música, entre outros. Para aqueles que gostam de rotas bem definidas, têm aqui o mapa da Feira.

Dia

Wishlist
Durante a vossa exploração, podem logo adicionar alguns mais-que-tudo à vossa wishlist (eu não disse que isto era Natal?!). Para isso, basta fazerem um registo rápido no site e, voilá, é só adicionar o que vos pisca o olho. 

Livros do Dia
Para mim, esta é das melhores coisinhas para quem quer poupar uns trocos e trazer quase a Feira toda para casa! No site, têm um espaço onde podem consultar quais os livros que naquele dia irão estar com um preço especial... e podem já ver todos os dias até ao final da Feira. Ou seja, basicamente é escrutinarem essa informação dia a dia (que não é pouca) e irem chutando para a wishlist. Se não conseguirem um atestado médico para tirarem o dia para fazer isto, podem sempre ir consultando diariamente - é uma boa opção para quem vive em Lisboa e tem facilidade em ir à Feira todos os dias. Se já sabem bem o que querem, podem simplesmente pesquisar os livros que procuram e verificar se têm um dia especial... se sim, é chutar para a wishlist e fazer um telefonema fanhoso para o patrão!

Dia

Só pelo passeio?
Ontem comentei com as minhas pérolas que hoje começaria a Feira do Livro em Lisboa. Risos, expressões "WTF?!" e perguntas sarcásticas do género "E isso é importante porque...?!" foram algumas das reações que recebi. Enfim, já sabemos que nem toda a gente gosta do Natal e há que respeitar o seu apreço pela ignorância por outros interesses...
Para aqueles que ler é algo que não lhes assiste, há sempre outras razões para dar um saltinho à Feira. Podem assistir aos vários Show Cooking previstos, fazer um rally street food (farturas, bolas da praia, imperiais e tremoços, ginginha de Óbidos, pregos, cachorros...é só começar numa ponta e acabar noutra) ou deixar alguns livros que estão a ganhar pó lá em casa no Banco de Bens Doados.

Por aqui, voltaremos a este tema, em jeito de rescaldo de um dos grandes eventos do ano.
Entretanto, podem ir acompanhando no Instagram as novidades.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...