terça-feira, 20 de junho de 2017

GRS | Quem diz é quem é!

Judite de Sousa está a fazer correr rios de tinta. Isto porque, a propósito de um direto sobre a tragédia de Pedrógão Grande, decidiu:

(1) ...comparar o número de mortos com a tragédia de Entre-os-Rios;
(2) ...sugerir a demissão da Ministra;
(3) ...fazer o direto ao lado do corpo de uma vítima.

Parou tudo!!! "Ao lado do corpo de uma vítima?!", perguntam vocês.
Exato...

Aliás, a juntar ao cenário dantesco ficou registado o comentário da jornalista (?): "Está um corpo aqui ao meu lado, de uma senhora, que ainda não foi recolhido, apesar de os bombeiros se encontrarem muito perto deste local”. Ou seja, não sabendo mais nada, diria que há aqui um péssimo serviço dos bombeiros, que já deveriam ter recolhido os corpos todos, a fim de evitar esta exposição que a Judite não conseguiu/pôde/quis (riscar o que não interessa) deixar passar em branco.

Como é óbvio, caiu-lhe tudo em cima. O Twitter andou nas horas e, por todo o lado, profissionais e amadores deixaram duras críticas à prestação da jornalista (?). E, claro, os dedos apontaram-se àquela que, infelizmente, há pouco tempo perdeu um filho de forma trágica e pediu respeito e privacidade à imprensa.



Verdade seja dita que ela também não teve muito sossego naquela altura, mas isso não justifica que sejamos o oposto do que dizemos. A meu ver, foi um episódio lamentável de alguém que não está a cumprir com rigor a sua função e precisa de ajuda.

Infelizmente, esta triste situação foi também mais um reflexo da nossa sociedade. Muitos foram aqueles que criticaram a exposição do corpo daquela vítima, o horror de se ver um morto ali ao lado, o desrespeito por todos os que viveram a tragédia... e a compor o post lá estava a fotografia daquele mesmo cenário! Sério?! Entre tantos exemplos (de pessoas mais e menos conhecidas), fica o registo de uma jovem que publicou uma imagem daquele momento e escreveu em letras garrafais (o que, em Internetês, significa gritar): "PARTILHA ESTA VERGONHA!!! NÃO VALE TUDO NO JORNALISMO!!!".

Pergunto: E na vida...vale tudo?!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

E tu, foste à Feira do Livro?!

Depois de uma pequena pausa para ganhar novo fôlego, decidi voltar a colaborar no projeto ACMA (ver aqui), que nos desafiou durante os meses de maio e junho a falar sobre FESTAS!
A época é propícia à temática, mas como devem calcular agarrei-me logo àquela que (para mim) é a grande festa do ano: Feira do Livro de Lisboa de 2017! E, agora, sim... fresquinho, fresquinho... vamos fazer o rescaldo do evento!
Segundo a organização do evento, foi a "maior feira do livro de sempre" e a adesão também foi grande: antes do fecho, previa-se ultrapassar o valor recorde de meio milhão de visitantes registado em 2014.

Confesso que não fui tantas vezes quantas queria. Quem leu isto aqui, também já percebeu que era menina para estar lá batida todos os dias. Não vivo em Lisboa, por isso não aconteceu. Fui no início da feira, em jeito de fuga, depois de jantar, logo posso-vos garantir que às 23h dava perfeitamente para circular e namorar os livros à vontade. Aproveitei para trazer um dos livros do dia, que estava na minha lista; entretanto, deu-me para o sentimento e acabei por trazer outro para lhe fazer companhia. Enfim, é como entrar numa loja de doces. Por sorte, a feira já estava a encerrar e eu tive de me pôr a andar...


Infelizmente, não consegui voltar tão cedo como desejava, a não ser no último dia. Conhecendo a afluência, decidi acordar cedinho e aproveitar a manhã para dar a volta oficial (e à luz do dia) pela Feira do Livro de Lisboa.


Embora tentasse fugir às horas de maior calor, este também acordou cedo. Foi um passeio fantástico, mas muito sofrido, pois o calor era insuportável (valeu-me a abençoada água termal em spray que trago sempre na mala). Uma pausa pequenina para comer e beber (muito) algo...


Baterias carregadas, lá voltei à perdição e fui riscando títulos da lista. Aproveitei para comprar os livros obrigatórios para o próximo ano letivo da loira mais nova, porque realmente é uma excelente oportunidade para investir e poupar uns trocos.
Pelo caminho, estive à conversa com o promotor da BIC sobre o projeto BIC KIDS, que pretende ajudar a trazer a criatividade para a relação alunos e professores. Obrigada pelas canetas!


E estas vão ser as próximas apostas na leitura cá em casa.
Já conhecem algum dos livros? Contem-me tudo!

--- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- ---
Blogs Fundadores do Projeto ACMA

Qualquer blogger ou youtuber que queira juntar-se ao projeto ACMA - A Cultura Mora Aqui basta enviar um e-mail para corsemfim@gmail.com. Ficamos à vossa espera!

sábado, 17 de junho de 2017

Vamos às Compras?! #15

Com este tempo, os grandes herois são aqueles que conseguem fazer algo de produtivo. A maioria certamente vai querer estar de molho.
Oficialmente, o verão ainda não começou, mas parece que as altas temperaturas não quiseram esperar... É hora de ir a banhos!



(clica nas imagens para mais detalhes)

| Protetor Solar Rosto Piz Buin - AMAZON | Biquini ATD - SPOTZONE | Saco de Praia Rip Curl - SPORTZONE |
Chinelos SixtySeven - PROF | Toalha de Praia Vertty - MINTY SQUARE | Óculos de Sol Komono - MINTY SQUARE |
| Bola Rugby Praia - SPOTZONE |

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Quando se Come Trump(a) às Colheradas!


Lembro-me de ter os meus 10 anos e passar as férias inteiras enfiada na praia. Nessa altura, não havia grande alarido com proteção solar, sabia-se que deveria haver uma maior cautela entre as 13h e as 15h e era justamente neste período que nos obrigavam a ficar à sombra (dorme a sesta e é se queres vir à praia!) até porque o grande perigo era a digestão.
Hoje, vinte anos (e uns pozinhos) depois, é praticamente um crime alguém expor-se ao sol sem proteção solar, sendo que o horário mais crítico passou a ser entre as 11h e as 17h. A digestão passou a ter uma importância relativa (e cada vez mais cedo as crianças/adolescentes passaram a ser imunes à sesta).

Lembro-me de ouvir, naquele tempo, a previsão de 30 e tal graus e "ó, meu deus, que amanhã não se vai poder andar na rua!". Hoje o pensamento ainda é este quando ouvimos as previsões, mas estas rondarem os 40 graus já começa a ser normal.

Não sei mais do que isto. Não sou cientista, nem ando por dentro das investigações climáticas. A temperatura tem aumentado ao longo dos anos e tenho como fundamento apenas a minha memória e as minhas vivências. E não é preciso ser muito inteligente para perceber que isto tem consequências desastrosas para todos os que vivem neste planeta.

Donald Trump diz que isto não passa de um mito e, por isso, deixou o Acordo de Paris para os crentes. Foram várias as teorias que me assolaram para justificar a posição do presidente norte-americano. Partilho carinhosamente (e por ordem cronológica):

1. Será que ele come bosta (fezes, se preferirem, porque m**rda é para os pobres) à colherada em jejum, antes de nascer o sol, ou há ali algum déficezinho cognitivo não diagnosticado atempadamente?

2. Será que viveu toda a infância dentro de uma redoma climatizada e, por isso, nunca teve a oportunidade de criar memórias para a vida, como levar uns bofardos para sentar-se à sombra ou umas galhetas para dormir a sesta por causa da digestão?

3. Será ele afinal um homem muito inteligente que, olhando apenas aos interesses financeiros da America Great Again (esqueceram-se de o avisar que para o hemisfério sul também há América, o que me leva novamente à primeira teoria...), conta com a ignorância do povo norte-americano para implementar os seus caprichos ideais e com o sentido de responsabilidade humanitária dos outros povos para se preocuparem com um problema que é de todos?

4. Terá ele já comprado e equipado um novo planeta para viver com as suas Trumpinas e respetivo staff (até porque há que manter as Trumpinas e as suas necessidades)?

Ok, esta última já é divagação, mas não podemos descartar a hipótese, até porque se o Trump alguma vez teve curiosidade em ver filmes americanos, deve ter reparado que as desgraças acontecem todas por lá...

Em todo o caso, se estiver a pensar em fugir para Portugal (como já vai sendo moda entre os famosos), só lhe desejo uma coisa: um dia inteiro ao sol, sem proteção, na praia da Arrábida, com direito a um mergulho de chapa depois de uma feijoada à transmontana!!!

sábado, 10 de junho de 2017

Vamos às Compras?! #14

Hoje as compras são feitas em português, numa espécie de comemoração do Dia de Portugal, este pequeno grande país à beira-mar plantado! E se temos tanta (e boa) produção tuga... Upa, upa!







(clica nas imagens para mais detalhes)

| Chávena Heterónimos - VISTA ALEGRE | Triquini - ONDHAMAR | Anel ajustável - CAROLINA CURADO |
| Mala Grace - MANJERICA | Casaco estampado - DUARTE | Loção corporal "Madrigal" - CLAUS PORTO |
| Sandálias Soca "Janis" - XUZ |

terça-feira, 6 de junho de 2017

Pérolas do meu Rosário #14

Há duras verdades na História que não escapam aos olhos das minhas pérolas!

Em 1908, mataram o rei D. Carlos e o seu herdeiro. Quem se lixou foi D. Manuel II, que desabafou, não a dor do luto, mas o sofrimento de ser o "resto" da monarquia...

Pérolas

E o "resticídio" dá-se naquele belíssimo dia em que dos céus surge uma imagem, não de Fátima, mas da República, aquela moçoila esbelta, de mama ao léu, até hoje incompreendida.

Pérolas

A educação é isto: uma eterna partilha de conhecimentos...

Pérolas

100 Mil Xi-Corações Apertados e Fofuchos!

Hoje, assim como quem não quer a coisa, o contador de visitas do blog ganhou mais um algarismo: 100 MIL VISITAS!!!

Um tchim tchim coletivo e um enorme OBRIGADA a todos os que estão desse lado, mesmo os que vieram por engano!

Mil

Sugestões e ideias (bem doidas, de preferência) serão sempre bem recebidas.
Usem e abusem do e-mail e/ou da caixa de comentários abaixo!
Vamos aos 200 mil?!

O Pecado Mora Aqui #6

Marisqueira UMA

Sim, é mesmo este o nome. E fica num pequenino recanto escondido em Lisboa. E o serviço é simplesmente...sui generis! Se tem como prioridade um atendimento simpático, atencioso e agradável, não vale a pena a visita. Se gosta de apreciar boa comida, então este é o sítio certo. Dificilmente conseguirá as duas coisas...

Quando se trata do melhor Arroz de Marisco do mundo e arredores, minha gente, é como alguns dizem: "me bate que eu gosto" (ler com sotaque brasileiro)! Penso que é o único sítio onde regresso, mesmo sabendo que posso levar com uns gritos logo à entrada do restaurante... Sim, na última visita, tive de acalmar um italiano que estava estupefacto à porta, depois de ter sido posto na rua por não haver mais mesas! "Vão-se embora, que já não há lugar!", acompanhado de um tom bairrista e de todo um gesticular que é como quem diz isto não é a casa da Maria Joana!.

Os grandes foodies chamam-lhe "atendimento execrável e inadmissível"; eu gosto de lhe chamar "peculiar espírito lisboeta", que acaba por ser característico do espaço. Depois de conhecermos, torna-se tão engraçado e já não conseguimos imaginar outra forma de atendimento que combinasse tão bem. É isso que a torna UMA marisqueira entre tantas. Isso e o arroz de marisco, que é guloso e um dos maiores pecados que por aí andam (ainda não consegui tirar uma foto antes de o tacho ser atacado, mas fica a promessa...).

Pecado

O preço é acessível e aconselho vivamente um telefonema prévio a reservar (não falhem a hora marcada!). Porque, como poderão confirmar, não há refeição que a porta não esteja apinhada de gente a querer mesa. A verdadeira prova de que, na verdade, a conquista faz-se pela barriga!

domingo, 4 de junho de 2017

#semanaemrevista 22 | Cusquices, Saúde e Palcos

1. No mercado é que é!
Quem conhece, sabe do que falo. O Mercado do Livramento, em Setúbal, é irresistível... E não me refiro apenas aos produtos frescos e à combinação de cheiros que nos dão vontade de ir a correr tirar um curso de culinária com os melhores chefs. Há todo um espírito sadino que nos alegra o dia...
Era manhã quando fomos deambular pelo mercado (só) para comprar um peixinho para assar no forno. Veio o pargo, vieram as sardinhas, veio a garoupa, os camarões de rabo azul (ah, pois é... google it!), as amêijoas, a melancia, os kiwis, as cerejas, os coentros... and so on. Parecia eu que tinha entrado na Louis Vuitton com um vale oferecido pelo Cristiano Ronaldo!
Numa das bancas, enquanto aguardava, fiquei a saber que fulana levava porrada do marido, o que pelos vistos é algo que agora aprecia bastante: "ó p'ra ela toda arrebitada a andar por aí como se fosse a rainha do pedaço". Isto porque o que conta é o dinheiro: "antes chorava-se a olhar p'ro peixinho, coitadinha que levava nos cornos, que não tinha muito para gastar; agora é vê-la a levar tudo e a passar os dias inteiros no Alegro, toda composta... Ainda dizem que elas não gostam de levar, assim até eu levava!". Meus amigos, não há hipermercado que supere isto. Peixe fresco e noticiário da aldeia?! Nah!!!

semanaemrevista


semanaemrevista

2. Veterinário e a Leishmaniose
Lá fomos nós para a última "pica". Que é como quem diz, levar a Joy ao doutor para desassossegar a sala de espera inteira e, no final, levar uma vacina como se nada fosse, enquanto eu tenho um fanico.
Ora bem, esta foi a última leva para proteger a cadela mais fofi do mundo da Leishmaniose, uma doença que não queremos que chegue aos nossos mais-que-tudo de quatro patas. Transmitida através da picada de um insecto (facilmente confundido com o mosquito), é potencialmente fatal para os cães. E para quem vive no meio rural, o risco é maior, por isso não há como relaxar acerca disto.
Ainda que implique alguns custos (não comparticipados pelo Estado), penso que é daquelas medidas em que devemos investir. Como se costuma dizer, a saúde é uma prioridade, por isso devemos cuidar de TODOS os membros da família.

semanaemrevista

3. Feira do Livro de Lisboa 2017
Quem acompanha o blog, sabe que este é O evento do ano, para mim! Começou esta semana e, claro, já lá fui apalpar o terreno... Este mês voltarei a colaborar com o projeto ACMA (A Cultura Mora Aqui), por isso voltarei a este assunto, no final do evento, para vos contar tudo! Entretanto, passem por lá e vão acompanhando as novidades no Instagram :)


semanaemrevista

4. Seagull | Let's Rock!
Todos os anos a mítica discoteca Seagull, que se situava junto ao rio Sado, em Setúbal, antes de fechar as suas portas há alguns anos após um incêndio, promove um evento para relembrar os velhos tempos da malta dos anos 80 e 90.
Este ano o mote foi "Let's Rock!" e teve como "palco" o Porto de Setúbal. Para além de ser sempre uma festa que vale a pena pelo reavivar de memórias, é também o grande momento para reencontrar velhos colegas e amigos. [nota: este ano esticaram-se no preço, não?!]

semanaemrevista

5. A Bela e o Monstro
Já há algum tempo que não ia ao teatro, mas hoje a mommy arrastou-nos até ao Fórum Luísa Todi para assistir à peça da Yellow Star Company, A Bela e o Monstro. E foi muito bom. Em musical, como eu gosto, não fugindo muito à história original, mas com alguns apontamentos muito interessantes. Destaque (em grande e em bom) para a Elsa Galvão, que mostra como se cria e se dá vida a uma personagem. Excelente expressão corporal (e voz lindíssima) da Carolina Puntel.

semanaemrevista

sábado, 3 de junho de 2017

Vamos às Compras?! #13

Fim de semana prolongado, com direito a pouco descanso!
O que não impede de respeitarmos o dress code que este fim de semana exige. E na ordem do dia está...o revival das músicas da nossa vida!

[introduzir jingle/slogan da M80]




(clica nas imagens para mais detalhes)

| Blusa Branca - ULLA POPKEN | Jeans Básicos - PEPE JEANS | Clutch Natural - R STUDIO |
| Brincos - ANNE WEYBURN | CD Rock Legends - FNAC | Sandálias - PEPE JEANS |
| Colar ajustável - MMUTT | Base Disco Vinil - FNAC |

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Livros, Crianças e Day Off... ou mais um Dia de Natal?!

Para aliviar a ansiedade de todos os que adoram o Natal como eu, existem alguns dias ao longo do ano que nos trazem aquela magia única de dezembro. E hoje é um desses dias! Ora vejamos...
  1. Comemora-se o Dia Mundial da Criança!
  2. O meu município (a linda vila de Palmela) celebra o seu feriado!
  3. Começa hoje a 87ª Feira do Livro de Lisboa 2017!
É ou não é Natal?! Há lá coisa melhor do que não ir trabalhar, ficar a saltar nos trampolins, enquanto se navega no fantástico mundo das histórias?! Além disso, é o primeiro dia do mês que nos traz o Verão... é muita emoção junta, não há coração que aguente!!! Mas calminha com o andor...não nos podemos dispersar nesta loucura!

Dia

Falemos da Feira do Livro de Lisboa e, fait attention, minha gente natalícia, que isto é assunto para ser levado muito a sério: toca a tirar apontamentos!

1 a 18 de Junho
É o período em que podem ir até ao Parque Eduardo VII visitar a Feira do Livro, por isso metam férias, digam ao patrão que estão de quarentena ou arranjem um atestado médico, mas desenrasquem-se!

Quem? Onde? Quando?
Para conhecerem a agenda deste evento, basta acederem aqui e explorarem o que vos interessa: livros, escritores, workshops, música, entre outros. Para aqueles que gostam de rotas bem definidas, têm aqui o mapa da Feira.

Dia

Wishlist
Durante a vossa exploração, podem logo adicionar alguns mais-que-tudo à vossa wishlist (eu não disse que isto era Natal?!). Para isso, basta fazerem um registo rápido no site e, voilá, é só adicionar o que vos pisca o olho. 

Livros do Dia
Para mim, esta é das melhores coisinhas para quem quer poupar uns trocos e trazer quase a Feira toda para casa! No site, têm um espaço onde podem consultar quais os livros que naquele dia irão estar com um preço especial... e podem já ver todos os dias até ao final da Feira. Ou seja, basicamente é escrutinarem essa informação dia a dia (que não é pouca) e irem chutando para a wishlist. Se não conseguirem um atestado médico para tirarem o dia para fazer isto, podem sempre ir consultando diariamente - é uma boa opção para quem vive em Lisboa e tem facilidade em ir à Feira todos os dias. Se já sabem bem o que querem, podem simplesmente pesquisar os livros que procuram e verificar se têm um dia especial... se sim, é chutar para a wishlist e fazer um telefonema fanhoso para o patrão!

Dia

Só pelo passeio?
Ontem comentei com as minhas pérolas que hoje começaria a Feira do Livro em Lisboa. Risos, expressões "WTF?!" e perguntas sarcásticas do género "E isso é importante porque...?!" foram algumas das reações que recebi. Enfim, já sabemos que nem toda a gente gosta do Natal e há que respeitar o seu apreço pela ignorância por outros interesses...
Para aqueles que ler é algo que não lhes assiste, há sempre outras razões para dar um saltinho à Feira. Podem assistir aos vários Show Cooking previstos, fazer um rally street food (farturas, bolas da praia, imperiais e tremoços, ginginha de Óbidos, pregos, cachorros...é só começar numa ponta e acabar noutra) ou deixar alguns livros que estão a ganhar pó lá em casa no Banco de Bens Doados.

Por aqui, voltaremos a este tema, em jeito de rescaldo de um dos grandes eventos do ano.
Entretanto, podem ir acompanhando no Instagram as novidades.

domingo, 28 de maio de 2017

Vamos às compras?! #12

Está a chegar o Dia da Criança!!!
A ponderar seriamente o tapete destas compras... quem não tem saudades do jogo da macaca?!
Uma vez criança, sempre criança...




(clica nas imagens para mais detalhes)
| Corda de Saltar Speed 2.0 - NIKE | Elásticos de Cabelo - INVISIBOBBLE | Mala Bakhita Bubble Gum - MANJERICA |
| Ténis Basic 02 - LE TEMPS DES CERISES | Bálsamo Tinted Lip Glow - CATRICE | Tapete Cartola - VERTBAUDET |
| Milkshake Bubble Bath - FIZZ & BUBBLE |

sábado, 27 de maio de 2017

#semanaemrevista 16 a 21 | Novidades, Velocidade e Festas

Eu sei que isto deveria ser uma rubrica semanal, mas já sabem que a disciplina é algo que, por vezes, não me assiste. Mas não desespereis, caríssimos peregrinos desta estrada, pois já de seguida vai começar o pack 5 in 1...

À parte das obras que continuam por aqui (e que já várias vezes referi) e do trabalho que me tem ocupado cada vez mais tempo, devo dizer que fazendo um apanhado destas últimas semanas, isto tem sido uma época de festas que mais pareço uma Kardashian sempre na ramboia (sem a parte dos presentes, das mansões, das cirurgias estéticas e do rabo...humm...nisto estou quase lá)! Calúnias, tudo calúnias, meus fieis seguidores...

1. Convenções e as novidades para a casa
Foi a convite da Beko em Portugal que rumámos a Peniche para conhecer o que a marca traz de novo e posso dizer-vos que houve um combinado que me piscou o olho a modos que engatatão. Foi um fim de semana muito agradável e pudemos ainda dar uma volta pela zona para aproveitar o sol que já espreitava. Um saltinho ao Cabo Carvoeiro para respirar o ar fresco e profundo do mar e, claro, tirar algumas fotos. Como se aquela imensidão coubesse numa fotografia.

Velocidade
Cabo Carvoeiro
Velocidade
Convenção Beko Portugal
No fim de semana a seguir, a convite da Expert foi a vez de rumarmos até Lisboa para conhecemos as novidades de várias marcas. Posso dizer-vos que aqui havia muita coisa a piscar o olho. A linha de cozinha Meireles destacou-se que nem Gisele Bündchen na passerele da Victoria's Secret. Formas e cores modernaças (um bocadinho ao jeito da Smeg) e um toquezinho vintage, que eu gosto tanto. Por outro lado, fui assediada pelo novo tablet da Samsung. [PAROU TUDO!] Quem me conhece, sabe que sou uma espécie de embaixadora (não reconhecida) da Apple, mas é verdade: estive a "brincar" com o novo tablet Samsung e a sua caneta (sim, senhores da Apple, seria bom deixarem a malta experimentar a caneta do iPad Pro...) e gostei muuuuiiiito!!! Quase diria que me apeteceu trazer para casa... [CHOQUE!]

Velocidade
Convenção Expert (Samsung)
Sendo esta convenção no Time Out Market, onde adoro laurear a pevide, era inevitável um saltinho ao Santini para cometer o pecado e chorar o resto da semana. Teve de ser...

Velocidade
Time Out Market Lisboa | Santini
2. Kartódromo Internacional de Palmela
O sobrinho mais lindo e próxima glória do futebol português, quiçá mundial, comemorou mais um aniversário e arrastou a malta até ao KIP para uma tarde a alta velocidade. Ainda que tenha sido exclusivamente dedicada aos mais novos, também alguns graúdos decidiram testar as suas skills de Velocidade Furiosa, que não pareceu tão furiosa assim... Velocidade Chateada, vá!

Velocidade
Kartódromo Internacional de Palmela
Velocidade
Kartódromo Internacional de Palmela
3. Diplomados de 2014
Como é habitual, de vez em quando, é altura de irmos aplaudir os nossos ex-formandos, agora diplomados. Foi no início de maio que dissemos um adeus aos nossos formandos das turmas de 2014. Ironicamente, o almoço foi a convite da turma que mais cabelos brancos me deu, contribuindo generosamente para a ruína do meu sistema nervoso. E foi um excelente almoço de "até um dia".

Velocidade
Turma Técnico de Mecatrónica 2014 | Almoço em Alcochete

4. Family Day
Todos os anos, no colégio da loira mais nova, comemora-se o Family Day, um evento temático de portas abertas. Este é o dia para as famílias conviverem e apreciarem os trabalhos desenvolvidos ao longo do percurso. Este ano, teve como tema os "Herois" e, mais uma vez, a decoração estava giríssima. Continuo a preferir o ano do "Wonderland", mas mais uma vez estiveram todos de parabéns!

Velocidade
Family Day | Heroes: Hulk
Velocidade
Family Day | Heroes: Teachers
5. Sim!
A proposta foi feita e aceite. Eu fui convidada para madrinha e aceitei. Agora só falta o Sim! do grande dia: vem aí o Casamento do Ano!!!
Como madrinha, obviamente, tenho de estar em cima de certos assuntos e o vestido é um deles. Aliás, corrijo: o vestido é O ASSUNTO deste evento. E tenho-vos a dizer que já está tratado e é...lindo!

Velocidade
Claro que não é este...mas estava bem perto! :)

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Vais morrer no Natal!

[spoiler alert]

Li algures recomendarem este livro a todos os que gostaram d' A Rapariga no Comboio, por isso fiquei logo com uma pontinha de curiosidade. Não conhecia o autor e estava longe de imaginar o que estava pela frente. Mas esta foi uma "viagem" que valeu muito a pena!

Photo: Google
Não vou dizer que se tornou num dos meus escritores do coração, porque isto não é assim à primeira leitura. Digamos que o Sr. Tremayne conseguiu lançar o seu charme, surpreender e estamos agora na fase do "conhecermo-nos um pouco melhor". Isto porque, com uma escrita simples e linear (ao contrário da Paula Hawkins), consegue conduzir-nos num desespero página após página até ao fim. E por "desespero" entenda-se aquele nervosozinho irritante que se entranha no estômago e nos faz parecer um junkie: "só mais este bocadinho... já agora, leio mais este bocadinho... vá, só até ao final do capítulo..."!

O caso não é para menos. Imaginem uma criança super cutchi cutchi, que parece ter o dom de adivinhar algumas coisas (e até aqui pensamos em levá-la à Casa da Sorte para jogar forte e feio no Euromilhões), de repente dizer-vos sem papas na língua e de forma muito assertiva: "Vais morrer no Natal!". Como devem calcular, a partir daqui é sempre a arrepiar (literalmente) caminho até ao final...

[algum blá blá blá mais intelectual...]
Como já referi, a escrita é simples e, por isso, a leitura acaba por ser agradável e leve, ao contrário do enredo que começa a pesar página a página, adensando-se num labirinto esquizofrénico, onde por vezes nos perdemos com a protagonista na sua loucura. Excelente criação de personagens, desenhadas com pormenor e que nos sugam para dentro da narrativa. A descrição dos espaços, tendo a Cornualha como palco, é feita de forma muito crua: facilmente conseguimos ver o céu cinzento, a frieza e a humidade das minas, a agressividade do mar, o isolamento das matas.

Este foi daqueles que valeu a pena!
Tremayne, podes continuar a mandar vir!

sábado, 20 de maio de 2017

Vamos às compras?! #11

O cheirinho a verão já se faz sentir e os fins de semana já se querem a vegetar ao ar livre. À sombra ou ao sol, a ler um livro, a ouvir música ou, simplesmente, a meditar. [sem nunca subestimar os efeitos da exposição prolongada ao sol.]




(clica nas imagens para mais detalhes)
| Bolero - TM COLLECTION | Calças - TM COLLECTION | Colar - LUCKY BRAND | Alpargatas - YOOX |
| Óculos de Sol - DOT DASH | Óleo Corporal - VICHY | Água Termal - URIAGE | Cesto de Palha - LA REDOUTE |

domingo, 14 de maio de 2017

O dia em que Portugal foi descarado!

Como alguém disse uma vez, "Portugal não tem falta de talento, tem falta de descaramento"! É preciso acreditar estupidamente. É preciso arriscar e fazer diferente.

música
Hoje o Salvador ganhou a Eurovisão, como eu acreditava que iria acontecer. Foi a nossa primeira vez, com a maior pontuação de sempre vista neste evento e a assegurar o primeiro lugar desde o início. Portugal voltou a encher o peito de orgulho.

Um claro sinal de que as pessoas estão cansadas da "fast music" oferecida por cantores moldados pelos departamentos de marketing, numa linha de série imposta pela globalização. O mundo, e a Europa em particular, atendendo aos acontecimentos que têm assolado, precisava desta lufada de paz e autenticidade. Parar para sentir, apenas. É disto que é feita a música. Gostar sem perceber ao certo porquê. Apenas porque se sente.

E, depois, partilhar.

Obrigada aos irmãos Sobral!

quarta-feira, 10 de maio de 2017

GRS | A conquista da Europa continua

Quando o Salvador Sobral foi escolhido para representar Portugal na Eurovisão 2017 fiquei sem reação, confesso. Da melodia à figura, tudo contrastava com as habituais escolhas. Fizeram-se piadas, muitos ficaram chocados e envergonhados pela escolha, que agora é que íamos ser a piada, que agora é que íamos trazer um zerinho para casa, que anda tudo queimadinho do juízo, que assim é que não. Tudo à bom português que gosta sempre de mandar para baixo tudo o que tem assinatura tuga, porque os vizinhos é que é. Também houve os que elogiaram, enalteceram e valorizaram aquela escolha - estes foram vistos como os intelectuais da música, os snobs que não sabem o que o Zé Povinho gosta.

Eu não tenho formação em música, mas tenho um gosto musical muito eclético, gosto de ouvir um pouco de tudo. Quando ouvi pela primeira vez o Salvador, não percebi se gostei, mas também não consegui dizer que não tinha gostado. Dias depois, ouvi novamente. Havia ali qualquer coisa de muito único e especial, que me fazia ouvir até ao fim. Sem ruído visual em volta, apenas a música. Singular e cativante, algo que primeiro se estranha e, depois, se entranha. Não é música para ouvir em loop ou constantemente na rádio, pois não é essa a sua essência. É uma melodia para ser apreciada num palco, idealmente ao vivo. E, durante aqueles breves minutos, há um ambiente de paz que nos envolve e eleva a língua portuguesa a um patamar exclusivo, como se não houvesse outra língua que pudesse cantar aquela canção. E enquanto assistia à sua atuação, acreditei que temos tudo para ganhar a Eurovisão este ano.

Só hoje consegui parar um bocadinho para ver a atuação do Salvador na semifinal da Eurovisão 2017. Confirmei a minha teoria do "estranha-se e, depois, entranha-se"! À terceira vez, já senti a música como minha e gostei tanto, que julguei até ser impossível alguém não gostar. Anos depois, estamos novamente na final e só podemos estar orgulhosos.

Faço muita questão de ver a final em direto, no próximo sábado, como nos velhos tempos, em que o Festival da Eurovisão fazia parar o país e reunia toda a família a suspirar por pontos para Portugal. Este ano vamos vê-los a chegar e a somar. Acredito verdadeiramente nisto.

conquista

quarta-feira, 3 de maio de 2017

GRS | O colapso do Whatsapp

De acordo com o El Mundo, a queda do funcionamento terá ocorrido por volta das 21:00 em Portugal, aproximadamente.
Esta é uma das informações que o Diário de Notícias online divulgou há cerca de meia hora atrás, no seguimento da notícia de última hora que vai ocupando espaço nos media: o Whatsapp teve um colapso!

Até ao momento ainda não houve qualquer reação da "família", desconhecendo-se assim os motivos desta grande catástrofe, que está a atingir a vida de milhões em todo o mundo. Reações já se fazem sentir e a grande questão que impera é a seguinte: como poderá a espécie humana comunicar agora sem o Whatsapp?!
colapso

Resta-nos aguardar, com tranquilidade e esperança, para que tudo não passe de um susto e que o milagre da ressurreição se dê. Entretanto, há que questionar a vida e a nossa existência, enquanto a comunicação se encontra interrompida. Sem desesperos.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

#semanaemrevista 15 | Fruta, Jardim e Família

1. Descobertas
Voltei a (tentar) disciplinar o regime alimentar e à descoberta de novos alimentos. Fruta e vegetais acima de tudo. À exceção do dia de Páscoa (em minha defesa há bons argumentos), tenho sido regradinha. Kunquat é uma fruta pequenina, que deve ser prima muito afastada das laranjas. De sabor mais ácido, que contrasta com o interior doce da casca (que não percebi se se deve comer, mas pareceu-me que não), é uma fruta agradável, embora termine numa dentada...

2. Em Construção
Para quem vai acompanhando o blog no Instagram (aqui), é fácil perceber que as obras continuam. Construir sonhos dá trabalho, é só o que vos digo. Mas também já perceberam que este fim de semana atingimos mais um objetivo: relva! Mais do que isso: um jardim lindo! Até um monte, que tantas vezes me apeteceu eliminar do mapa, conseguiu ter uma "cara" nova e ficou giríssimo... Excelente trabalho da equipa da Cloroflor!

Photo: Facebook
3. Família (ou a grande Country Life Opening Party)
Nunca liguei muito ao domingo de Páscoa, confesso. Contudo, este ano foi diferente. Não por questões religiosas, como devem calcular, mas sim porque foi a data em que decidimos fazer a grande Country Life Opening Party. Ou seja, a Festa de Inauguração dos Campónios. Como em qualquer antestreia, o público foi muito restrito e, sendo data festiva, decidimos reunir a família mais próxima, com caça aos ovos, comida a montes (regada com Palhoça), música e jogatana. Foi um dia bem passado e já está tudo "contratado" para o Natal! Entretanto, a nossa "equipa" de eventos já prepara o programa das festas vindouras. Porque é destes momentos que a vida deve ser recheada.

Vamos às compras?! #10

Os dias de Sol parece que vieram para ficar. Nem a ameaça de mau tempo na Páscoa se concretizou. Por isso, aproveitemos para passeios (com estilo, claro!).


(clica nas imagens para mais detalhes) 

Playsuit Linho Nude  - BE YOU BE BEAUTIFUL
Óculos Stella Cider Black - KOMONO
Colar Just Be You - KOHL's 
Protetor Solar Lábios F 30 - AVÈNE
Óleo Solar F 50 - URIAGE
Sandálias Kota - LES TEMPS DES CERISES 
Pulseiras Stardust - SWAROVSKI
Saco de Praia - ROXY

domingo, 9 de abril de 2017

#semanaemrevista 14 | Casa, Cuidados e Ambiente

1. Modo caseiro
É este o espírito dos últimos tempos: aproveitar mais cá dentro. E tem corrido muito bem. Ou, pelo menos, tem trazido um pouco de tranquilidade aos dias de trabalho que têm sido (confesso) muito duros. Acordar com o som dos passarinhos é, de facto, muito terapêutico. Mesmo quando são um bocado histéricos e decidem "falar" todos ao mesmo tempo às 6h da matina!

semanaemrevista

2. Cuidar
...de mim. Começa a ser urgente. A todos os níveis.
Até comecei bem o ano, cheia de motivação e persistente, mas caí no cliché redondinha. Preciso de encontrar novamente o foco e disciplinar-me, o que não está fácil. Tenho esperança que a boa energia primaveril me contagie...

semanaemrevista

3. Poluição
Esta semana fui com as minhas pérolas visitar a Amarsul, uma empresa de recolha e tratamento de resíduos na margem sul do Tejo. Julgo ter sido uma aprendizagem muito importante para todos, porque as campanhas publicitárias e as ações de sensibilização não se comparam ao contacto com a realidade. O cheiro era nauseabundo, mas nem assim desertámos e acompanhámos todo o processo. Duas cidades, Almada e Seixal; cerca de 400 toneladas diárias de lixo!
Muitos dos formandos ficaram espantados com a quantidade de lixo que se acumula. É tão bom acreditarmos que, assim que colocamos os sacos do lixo nos respetivos contentores, o assunto está resolvido, como se aqueles sacos desaparecessem nesse preciso momento. Mas não. Há todo um caminho ainda a percorrer e que todos precisamos, cada vez mais, otimizar.

semanaemrevista

Sobre a Educação... ou a arte de sacudir a poeira para cima do outro!

Acredito que é "desde pequenino que se torce o pepino". Ou, por outras palavras, é em casa que a educação começa. E digo "começa", porque também acredito que é na escola e na sociedade que se continua. O formador tem um papel fundamental na educação e aquele que julga que o seu trabalho está circunscrito à transmissão de conteúdos está, sem dúvida, na profissão errada. Mais: todos deveríamos ter a obrigação de "educar" para que o civismo exista desde cedo.

Educação
Photo: Diário de Notícias (online)

Mil estudantes portugueses foram corridos de uma unidade hoteleira em Espanha, por comportamento e atitudes de falta de civismo. Senti-me envergonhada como portuguesa, porque estamos a falar de jovens no 12º ano, ou seja, todos com/a fazer 18 anos, ou seja, a atingir a maioridade para se tornarem cidadãos plenos na nossa sociedade. Senti-me envergonhada como formadora, pois aqueles poderiam ser os meus formandos e, por conseguinte, eu só poderia estar a fazer um péssimo trabalho nas competências que deveriam estar a ser trabalhadas. Senti-me envergonhada como mãe, pois poderia estar ali a minha filha e eu teria falhado redondamente no meu papel de "primeira educadora". Até porque uma palmada bem dada na hora certa só traz benefícios e não deve ser confundida com violência gratuita.

Esta é uma história que ainda fará correr rios de tinta, mas como tantas outras irá cair no esquecimento e tudo continuará a ser igual. Pelo menos, até começarmos a ganhar consciência de que este é um trabalho conjunto e ninguém se pode demitir do seu papel. O que fizeram em Espanha, fazem todos os dias em Portugal. E este é um problema que diz respeito a todos...
  • Aos pais que precisam trabalhar de manhã à noite, neste país que privilegia a quantidade (de horas de trabalho) e não a qualidade (da produção), e que se tornam ausentes da vida diária dos filhos, procurando atenuar essa falha com cedências e retribuições materiais. Eles percebem rapidamente que tudo é fácil e (quase) garantido; e se não são repreendidos (a sério) pelos pais quando cometem erros, mais ninguém tem o poder para o fazer.
  • Aos pais que tentam manter os filhos em bolhas esterilizadas e/ou acreditam que educar é uma ciência perfeita, por isso evitam a todo o custo que os jovens contactem com realidades "desfavorecidas", que desçam do 100% para o 98% (nem que isso implique horas seguidas de explicações) ou que tenham o mínimo comportamento inadequado (quanto mais calado e parado, melhor). Eles aprendem rapidamente que é tudo uma questão de aparência; longe dos pais, são os que "pintam a manta à grande", primeiro porque é novidade, depois porque há liberdade. E os estragos não são um problema, pois os pais pagam...
  • Aos professores que apenas estão preocupados em "professar" os seus conteúdos, que consideram que não lhes pagam para educar os filhos dos outros e/ou que entopem os jovens com trabalhos de casa (apenas para acelerar o programa que tem de ser cumprido, num país que adora quantificar e não avaliar). Eles rapidamente percebem que ao desestabilizar vão ser colocados fora da sala, por vezes sem destino, por isso ganham um descanso extra; outras vezes, vão ter de ir para a direção, onde ouvem um sermão pré-definido e rápido (há muita papelada para preencher e assuntos burocráticos para tratar), fazem um ar de profundo arrependimento e pedem muita desculpa - ganham um descanso extra ou têm de voltar à sala, para onde caminham lentamente, aproveitando para no percurso ir ao bar comer qualquer coisa ou ver as novidades no Snapchat. E ainda ganham estatuto de herois na turma...
  • Aos professores que se preocupam apenas com os "seus"alunos e, perante comportamentos inaceitáveis de alunos de outras turmas, preferem não intervir, pois não têm nada a ver com aquilo. Além disso, já há tema para a hora da cusquice com os colegas, de que os alunos do professor X são os piorzinhos da escola. Eles rapidamente percebem quando a equipa pedagógica está fragmentada e quem são aqueles que não querem saber - resta-lhes aproveitar...
  • A todos aqueles que vivem em sociedade e, perante comportamentos desajustados dos nossos jovens em plena rua, não intervêm, ficando a criticar baixinho ou em conversa de café. Eles rapidamente percebem que podem fazer o que quiserem, sem repreensão seja de quem for. Além disso, se ninguém repreende, se calhar até nem estão a fazer nada de mal...
Educação
Photo: Diário de Notícias (online)
É óbvio que esta não é a fórmula mágica para resolver o problema, até porque ela não existe. E certamente muitos poderão argumentar que, por vezes, até fazemos o nosso papel, mas a personalidade deles é assim e contra isso nada conseguimos... Mil estudantes em dois dias?!! Acho que o número é expressivo para que esse argumento seja apenas mais uma desculpa para nos demitirmos do nosso papel. Sem dúvida, que a personalidade tem o seu peso e é isso que os (nos) diferencia, mas se todos tivermos o compromisso da educação, acredito que estes casos de "personalidade vincada" sejam facilmente controlados. E asneiras todos vão fazer; aliás, esperamos que façam mesmo, pois é através das asneiras (deles e dos outros) que também educamos.

Não estamos apenas a educar jovens. Estamos a educar o futuro do nosso país.

sábado, 8 de abril de 2017

Vamos às compras?! #9

Os dias longos já começam a assumir-se, convidando-nos a algumas caminhadas matinais e passeios de final do dia. Mas uma pessoa não pode ir de qualquer maneira, não é?!

[gosto tanto dos ténis....]



(clica nas imagens para mais detalhes) 

Ténis TEDxOporto  - UBBER WHITE
Capa iPhone 7 - 4-OK
Esferográfica Pink Flower - NATHALIE LÉTÉ 
Mala Bette Red - MANJERICA 
Blush 43 Flower Power - GOSH
Auscultadores Wireless - AUTUMNFALL 
Óculos Carbon Black Rose Gold One - HAWKERS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...