domingo, 28 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 59 | Vintage ou Antiguidade?

Hoje foi aquele dia de limpeza e arrumação de caixas e caixotes com resmas de coisas que não vemos há décadas. E acontece aquele sentimento nostálgico do "xiii...já nem me lembrava disto"!

Ainda que a parte do limpar e arrumar seja um grande cocó (para não dizer outra coisa), acaba por ser engraçada esta espécie de caça ao tesouro, em que encontramos relíquias que nos lembram tanta vida que já palmilhámos. E que podem ser reaproveitadas, dando um estilo vintage, que eu gosto tanto!

Até ao momento em que se tem uma filha pseudoadolescente, que descobre uma caixa de fotografias com negativos e pergunta: "Era assim que vocês viam as fotos antigamente?!".

Antiguidade, meus caros! A sensação é de antiguidade, a partir daqui...

sábado, 27 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 58 | Veterinário

Foi hoje o primeiro dia. Vacinas, check; peso, check; auscultação, check.
Manicure...o drama, o horror! Mas as unhas ficaram cortadas. Check!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 56 | Pose de Jantar

Durante a hora de jantar, agora há que manter sempre a mesma posição: pés ligeiramente afastados, com o pé direito numa pequena inclinação para o seu lado direito, como que formando uma pequena concha.

Se sentir alguém por cima a ressonar profundamente, é só manter esta posição até os pés ficarem dormentes.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 55 | Inverno

Depois de uns dias de sol, volta um dia daqueles em que o Inverno mostra que ainda manda por aqui.
E começa aquela saudade da Primavera.

---
After some sunny days, Winter returned today to show he's still the boss around here.

Conto(-te) #5

Chegava cedo, todos os dias: sentava-se numa mesa, sozinho, num ritual quase perfeito. Pousava os dois cadernos, a bengala, pedia um café cheio. O empregado, com a sua simpatia habitual, trazia o café. Aqui tem: pousava cuidadosamente, sorria, voltava ao balcão. O velho homem agradecia e demorava-se uns minutos a apreciar o cheiro quente e familiar do café, antes de o beber, também devagar, também com prazer. Abria um caderno e passava lentamente a mão saudosa pelas páginas: muitas fotografias e notas. Abria o segundo caderno, a mão melancólica procurava e recuava: em branco. Fechava os cadernos e permanecia sentado, até reiniciar o ritual. O mundo girava à sua volta, incógnito.
Assim acontecia no aeroporto: o local de passagem dos anónimos, dispersos entre partidas e regressos. Eu observava-o do balcão: o café cheio, os cadernos, o sentir. Naquele dia, aproximei-me: deseja mais alguma coisa, senhor? Respondeu-me que não, sorriu, nervoso. Continuava atento aos sons que o rodeavam e já folheara os seus cadernos várias vezes.
– Amanhã já não poderei vir. – acrescentou, continuando o diálogo que não verbalizámos. – Quer fazer-me companhia?
Já tinha acabado o meu turno, por isso aceitei. Quando voltei do balcão, sentei-me com o meu café curto e comecei a atirar questões triviais, abrindo caminho para alimentar a minha curiosidade. O velho homem percebera, mas deixou-me desbravar os trilhos ao ritmo natural das conversas de circunstância. Era fotógrafo, ou melhor, tinha sido fotógrafo: até ao dia em que um acidente o privou da sua maior ferramenta, a visão. Apresentou-me o primeiro caderno: um delicioso repertório de viagens por todo o mundo, uma disparidade de rostos, uma panóplia de emoções. Ali estavam as suas vivências, através do seu olhar, impressas em pedaços de papel. Durante horas, contou-me as suas aventuras, falou-me de pessoas e culturas, de momentos únicos, sempre com uma satisfação plena de trabalho cumprido. Revelei-lhe o meu desejo de correr o mundo, de conhecer o maior número de terras e pessoas que conseguisse: gostava de construir o meu próprio caderno. Pedi-lhe conselhos.
O velho sorriu, agora imerso numa tristeza profunda. Pousou a mão sobre o segundo caderno: este é pessoal, conta a história da minha vida, da minha família, explicou-me. Empurrou o caderno na minha direção.
- Construa este caderno primeiro. No final, será este o que mais quererá relembrar.

Levantou-se, agarrou na sua bengala, no seu caderno de viagens: nunca mais regressou ao seu ritual.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 54 | Dance

E todas as terças-feiras é assim: terminar o dia a dançar! Bem ou mal, isso agora não interessa nada.
Mas que é muito bom para realizar a catarse...ah, isso é!

---
And all tuesdays is the same thing: ending up the day dancing! Well or badly, that's not the point.
But it's wonderful for catharsis...oh, yes indeed!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 53 | Simples

As melhores coisas da vida são simples, já alguém dizia.
Assim de repente, ocorrem-me algumas:
  • Café, chocolate negro e pantufas (ao mesmo tempo)
  • Manhãs de sábado sem relógio
  • Passeios perdidos pelas ruas de Lisboa
  • Uma noite de Game of Thrones
  • Viajar (para qualquer destino)
Assim, só de repente.

---
The best things in life are simple, someone said.
Suddenly, some of them occur to me:
  • Coffee, dark chocolate and slippers (at the same time)
  • Saturday mornings without a clock
  • Lost walks through Lisbon streets
  • A Game of Thrones night
  • Travel (to any destination)
Just suddenly.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 52 | Treino

Como devem calcular, novo membro da família implica reconhecimento e adaptação ao novo lar. Checklist da nossa Joy Primrose:
  • Já sei onde é a minha cama e é para lá que vou dormir sempre que me apetece - CHECK
  • Já sei quais são os meus brinquedos e já arranjei esconderijos para os meus preferidos. - CHECK
  • Já sei onde são as tigelas da comida e da água. - CHECK
  • Já percebi que há horários fixos para refeições. - CHECK
  • Já distingo perfeitamente o meu nome. - Humm... Tenho uma vaga ideia, mas ainda não percebi se é "Joy" ou "Não"...
  • Já sei onde fazer as necessidades. - Humm... Não estou a perceber as coordenadas destes humanos, mas há sítios que acho fantásticos para fazer...
Estamos no bom caminho.

---
As you can imagine, a new member in the family means recognition and adaptation to the new home. Our Joy Primrose's checklist:
  • I already know where my bed is and where I go to sleep whenever it pleases me - CHECK
  • I already recognize my toys and already found some hiding places for my favorites. - CHECK
  • I already know where my food and water bowls are. - CHECK
  • I already can distinguish my name. - Humm... I have a clue about it, mas I still can't understand if it's "Joy" or "No"...
  • I already know where to poop and to pee. - Humm... I don't understand these human's coordinates, but there are some places that I find amazing to do it...
We're in the right track.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 51 | Joy Primrose

Eu não disse, eu não disse?! Eu bem disse (aqui) que o São Valentim já tinha feito das suas...
Senhoras e senhores, apresento-vos oficialmente a Joy Primrose, a beagle que promete revolucionar tudo por aqui. Como não podia deixar de ser, já tem a sua própria conta de Instagram: myjoyprimrose (toca a seguir, malta!).

E hoje a vida muda. Cheia de Joy.

---
I told you, didn't I?! I told you (here) that Valentine did it again...
Ladies and gentlemen, I officially present to you Joy Primrose, the beagle that promises to revolutionize everything around here. And she has already its own Instagram account: myjoyprimrose (to follow, guys!).

And today life changes. Full of Joy.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 50 | Open Day

Hoje foi dia de abrir as portas aos jovens das várias escolas que já começam a pensar no futuro. É sempre um dia agitado e cansativo, mas também divertido para os nossos meninos que lideraram visitas guiadas, demonstrações e apresentações.
Foi o que me valeu para trazer algum ânimo a uma semana de autêntica revolta. É no Gabinete da "Infernética" que estão as minhas pérolas mais preciosas. Entre principiantes e experts, reina sempre o bom ambiente. Mesmo quando não ficamos tão bem na fotografia.

---
Today we opened our doors to young people from various schools that have begun to think about the future. It's always a busy and exhausting day, but also funny for our boys and girls who led guided tours, demonstrations and presentations.
Thanks to this, my week of true revolt gained some joy. My most precious pearls are from the Computing Department. Between beginners and experts, there are always good vibes. Even when we don't do so well in the photograph.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 49 | Ser criança

...é acreditar em fadas e unicórnios, pensar que se pode tudo e que a verdade é a única palavra que existe. É como se costuma dizer: nada é mais sincero do que aquilo que sai da boca de uma criança. E achamos tanta graça e achamos que sim...pois assim é que deve ser.

Depois crescemos e ganhamos formalismos, máscaras de todas as formas, para todos os contextos. E a verdade é ornamentada, por vezes omitida, muitas desaparecida. Porque sim...porque fica bem, porque isto é saber viver em sociedade. Andamos todos num jogo da cabra cega para adultos, mas sempre de olhos bem abertos.

A criança continua dentro de nós, sempre a querer dar o ar da sua graça. (Ou direi autenticidade?)

Por vezes, ganha. E acontecem dias assim.

---
Being a child is to believe in fairies and unicorns, is to think that everything is possible and that the truth is the only word that exists. It's like people use to say: nothing is more sincere than what comes out of a child's mouth. And we find it funny and we think that's ok... because that's how it should be.

Then we grow and gain formality, masks of all shapes, for all kinds of situation. And the truth is ornamented, sometimes hidden, often missing. Just because... it's right, it's how it should be in society. We're all in a blind goat game for adults, but always with our eyes wide open.

The child is still within us, always wanting to show off. (Or should I say to give some authenticity?)

Sometimes, she wins. And days like this happen.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 48 | Erupção

Boa disposição e energia positiva são duas características que me assistem. Mas como se costuma dizer, por vezes, idiots happen. E há sempre o meu outro lado.
Todos nós somos pequenos vulcões, que ocasionalmente decidem acordar.
Se o meu tivesse cor nestes últimos dias, seria mais ou menos isto.


---
People can characterize me by my good mood and positive energy. But sometimes, like some people say, idiots happen. And there is always the other side of me.
We are all small volcanoes, that occasionally decide to wake up. If mine had color, these last days, probably would look quite like this.
Photo: Lisboa - Portugal
Follow Instagram @atcandyland

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 47 | Vento

Detesto vento. Sol, chuva, nevoeiro, dias cinzentos...aceito. Tudo, menos vento.
O vento tem qualquer de traiçoeiro, desorganiza tudo por onde passa, arrasta, destrói, derruba.
Exatamente como o dia de hoje; só não surgiu em forma de vento.

---
I hate wind. Sun, rain, fog, gray days... I can accept all that. Anything but wind.
The wind is like a traitor, disrupts everything that he sees, drags, destroys, overthrows.
Just like today; just didn´t arise in its windy form.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 46 | Notebook

Adoro cadernos. De todos os tipos.
São como que uma mensagem às nossas vivências e aos nossos pensamentos para nunca deixarem de ser registados.

---
I love notebooks. Of all kinds.
They're like a message to our experiences and our thoughts to never cease to be registered.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 45 | Love & Joy

E não é que o S. Valentim fez novamente das suas?!
Parece que vem aí mais amor e alegria...mas para já não posso dizer mais... novidades em breve... psiuuu.

---
I guess Valentine did it again!
Looks like there's more love and joy to arrive...and that's all I can say for now...Ill tell you all about it soon...Shhh.

Be yourself a Valentine!

Valentim foi o homem que, num tempo de guerra, continuou a acreditar no amor e, por isso, acabou por ser torturado e morto.
Mais do que um dia reservado aos casais, este é o dia do Amor. Aquele sentimento que devemos colocar em tudo o que fazemos diariamente, aquele sentimento que não devemos ter vergonha de demostrar, aquele sentimento que devemos propagar como se de uma doença contagiosa se tratasse.

Porque atrás do Amor encontramos a Felicidade e a Paz.
Happy Valentine's Day

---
Valentine was a man that, in a time of war, continued to believe in love, ending up tortured and killed because of it.
More than a day dedicated to the couples, this is the day of Love. That feeling we should put in everything we do daily, that feeling we shouldn't be embarrassed to show, that feeling we should spread as if it was a contagious disease.

Because after Love we will find Happiness and Peace.
Happy Valentine's Day

sábado, 13 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 44 | I Love Pizza

Sábado à noite com um temporal lá fora pede pizza.
Porquê esperar pelo Dia de S. Valentim?...

---
Saturday night with a storm outside is something that asks for pizza.
Why wait for Valentine's Day?...

Conto(-te) #4

Parecia um dia como tantos outros: no caminho para a mina cantarolávamos, invocando algo diferente; durante horas, perdíamo-nos entre a escuridão e os diamantes; no final, voltávamos a cantarolar, sem grande esperança de algo de novo. E assim acontecia o acrescentar rotineiro de minutos à vida.
Quando nos aproximámos de casa, o Mestre fez sinal para pararmos. Do seu interior, uma luz e um cheiro caseiro denunciavam alguém. Cautelosos, avançámos: tudo arrumado, a lareira acesa. Subimos a medo. Numa das camas, aninhada, reconheci-a de imediato: Branca de Neve. O que fazia ali a filha do rei? Todos conheciam os rumores da maquiavélica Rainha e do seu ódio pela princesa. Mas a sua presença na nossa casa era uma incógnita. Ou, pelo menos, até ao momento em que acordou: assustada, pediu desculpa por nos ter invadido a casa; perdida em lágrimas, justificou-se. Afinal os rumores de um espelho mágico confirmavam-se: não conseguindo superar a beleza de Branca de Neve, a Rainha encomendou a sua morte a um caçador, mas este não fora capaz e deixou Branca de Neve fugir.
Deixámo-la ficar connosco: a partir daquele momento, passámos a acrescentar vida aos minutos. Lembro-me de uma noite, na grande clareira, em que me fez companhia:
- Por que vens aqui todas as noites?
- Para olhar as estrelas, imaginar como seria a vida se eu fosse um homem de verdade.
- Mas tu és um homem de verdade!
- Não. Se eu fosse de verdade, podia encontrar o amor.
- O amor tem diferentes formas e está em tudo o que nos rodeia.
Contou-me sobre o príncipe que conheceu num dos seus passeios: de como se apaixonaram, das promessas de amor eterno, da saudade. As suas palavras inundaram-me a memória no dia em que, ao chegarmos a casa, encontrámo-la caída no chão: ao seu lado, uma maçã vermelha fatal.

Branca como a neve, cabelo de ébano, lábios romã: a morte não conseguia vesti-la. Construímos-lhe um caixão de vidro, para que tudo e todos a velassem. Aterrorizado, um homem aproximou-se, ao descobrir-lhe o rosto. Percebi que era o seu homem de verdade: o caixão foi aberto e aquele homem, tão pequeno agora, chorou abraçado à morte. Lágrimas corriam nos seus rostos, tão próximos no beijo selado. E das lágrimas e do beijo nasceu um respirar. Branca de Neve abraçara novamente a vida e o amor, que se estenderam a tudo e a todos.

Dose de motivação #37

Em 2011, a UNESCO declarou esta data como o Dia Mundial da Rádio.
O motivo: foi neste dia que as Nações Unidas implementaram a sua rádio, no ano de 1946.

Este ano, o tema do Dia Mundial da Rádio é o papel da rádio nas emergências sociais e nos desastres.

---

In 2011, UNESCO declared this date as World Radio Day.
The reason: it was in this day that the United Nations radio was established, back in 1946.

This year the theme of World Radio Day is the role of radio in social emergency and disaster.

Follow Instagram @atcandyland

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 43 | Kubrick

O famoso cubo voltou à ribalta e tem sido um entretém nas mãos das minhas pérolas mais preciosas.
Lado positivo: os jovens (re)descobriram um entretenimento que estimula o raciocínio...fora dos ecrãs dos computadores, dos smartphones, das consolas!
Lado negativo: quando o divertimento passa a vício, a professora está a falar para as paredes porque é impossível largar o cubo...um pouco ao estilo do Gollum do Senhor dos Anéis! Só que, neste caso... são vários Gollum e vários cubos a rodopiar entre os dedos ao mesmo tempo!

EU - Chega!!! Não quero ver mais cubos à frente! Usem e abusem nos intervalos... na sala de aula, NÃO!

Hoje, uma das minhas pérolas mostrou que a mensagem foi bem entendida.

---

The famous cube returned to the spotlight and has been an entertainment in the hands of my most precious pearls.
The bright side: young people (re)discovered an entertainment that stimulates thinking... out of the screens of computers, smartphones, videogames!
The dark side: when fun becomes an addiction, the teacher is talking to the walls, because they can't let go the cube...in the style of Gollum from Lord of the Rings! But in this case... they are several Gollum and several cubes swirling between their fingers at the same time!

ME - Enough!!! I don't want to see more cubes! Use and abuse them in your break... in the classroom, NO!

Today, one of my pearls showed me that the message was very well understood.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 42 | Viajar

...é algo que já vai espreitando lá ao longe.
Por aqui já se vai pensando num destino...ou vários! Se tivessem uns bons  dias de férias num dos próximos meses para onde iriam?!
Sugestões, ideias...aceitam-se!

---
Traveling is something not so far away.
Around here, I'm already thinking where to go: one destination ... or more! If you had some vacation days ahead, in the next couple of months, where would you go?!
Suggestions, ideas ... bring it on!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

3 Erros Fatais de um Profissional

O mundo do trabalho é uma selva e, por vezes, as pessoas veem-se ultrapassadas por outras menos qualificadas e/ou menos experientes...única e exclusivamente porque existe o fator C (a bela da Cunha)! Este é um facto que todos nós conhecemos e que, volta e meia, faz circular pelas redes sociais notícias sobre contratações de filhos/sobrinhos/primos/vizinhos dos senhores políticos (e não só) do nosso país, em jeito de condenação no pelourinho dos tempos modernos...

À parte disto... por que motivo as pessoas são ultrapassadas por outras?
E agora vocês respondem: porque não têm experiência ou porque têm menos formação. E tudo isto também é verdade. Porém, muitas vezes, as pessoas não são bem-sucedidas profissionalmente (e não compreendem porquê), pois não têm noção daquilo que... DIZEM!

Pessoal: prestem atenção às frases que se seguem e entendam que proferi-las poderá ser o mesmo que dizer "mande-me já embora que eu sou uma besta e não estou aqui a fazer nada"...

1. "NÃO PRECISO DE AJUDA."
O que estamos a transmitir: "Eu sou o único capaz de fazer isto. Só trabalho com gente incompetente, por isso prefiro fazê-lo sozinho. É claro que não vou dormir nos próximos três dias e, depois, todos os erros serão culpa da exigência da tarefa que me atribuíram, quase sem tempo nenhum para a realizar e sem ajuda alguma."
O que o patrão pensa: "Deves ter a mania que és o maior do teu bairro! Eu devo ser um grande calhau a gerir aqui a barraca para ter contratado tanta gente incompetente quando podias ser o único super herói a dar conta do recado. E se, entretanto, no meio dos cafés e guronsans te der o badagaio, vamos ter com a Maya para fazer um ponto da situação do trabalho ou temos de nos aventurar à descoberta durante dias?!"
Abram a pestana! Saber delegar e trabalhar em equipa é fundamental. Existem tarefas que, devido à sua natureza ou simplicidade, são efetuadas individualmente; mas muitas outras podem e devem ser partilhadas por uma equipa, sendo assim realizadas de forma mais eficaz, atempada e informada. Em todo o lado, há aqueles que gostam de fazer bem, enquanto outros gostam de fazer o mínimo possível. Importa conhecer os pontos fortes de cada elemento e distribuir tarefas a partir daí; a comunicação e o acompanhamento fazem o resto.

2. "SEMPRE APRENDI A FAZER ASSIM."
O que estamos a transmitir: "Este agora vem chatear-me e quer que eu faça isto de outra forma? Deve ser parvo! Então, se foi assim que me ensinaram quando terminei o curso em 1983, por que motivo teria agora de fazer de outra forma?"
O que o patrão pensa: "Deves ter sido recusado no casting para o "Planeta dos Macacos", pois estes já tinham evoluído mais do que tu! Ainda dizem que os Australopithecus estão extintos... Se calhar, é melhor continuarmos a fazer sempre da mesma forma, pois a concorrência agradece!"
Abram a pestana! O mundo está em constante evolução e devemos estar preparados para os novos desafios do mercado de trabalho. Formação contínua é importante, mas mais do que isso é essencial que haja vontade de fazer diferente, de inovar, de fazer melhor!

3. "ISSO NÃO FAZ PARTE DAS MINHAS FUNÇÕES."
O que estamos a transmitir: "Quer dizer... com uma licenciatura e um MBA em Gestão, ia agora para ali tirar fotocópias?! Isso é tarefa para qualquer parolo...metam um a fazer isso!"
O que o patrão pensa: "Ó minha grande besta... se não tens capacidade para tirar fotocópias, eu posso pedir a um parolo que te dê formação! Se não consegues rentabilizar o tempo e lucro da empresa sendo versátil, podes dobrar os teus diplomas bem dobradinhos, enfiá-los no ânus e ir comprar o jornal para te agarrares aos classificados... ou, se calhar, consultá-los no tablet, pois podes não ter adquirido a competência de folhear um jornal no MBA!"
Abram a pestana! Versatibilidade, dinamismo e proatividade são competências importantes e fundamentais num bom profissional. Não somos máquinas formatadas e programadas para funcionar apenas de uma determinada forma...somos humanos e são as nossas competências humanas, pessoais e sociais que nos caracterizam e nos tornam necessários à sociedade. Portanto, deixem de ser cagarolas, porque eu conheço muita relva cheia de diploma que nem semente levou...

Para já, ficam estas três... mas pensem antes de falar, pois pela boca morre o peixe, já dizia o Zé Povinho!

Regra: Não digam tudo o que vos vem à cabeça.

#omeuanoemfotos 41 | Mil X Obrigada

Rufem os tambores, toquem as cornetas, atirem os confettis!!!
E não é que chegámos aos quatro dígitos?! Pois é...a nossa página do FB faz hoje tchim tchim aos 1.000 gostos!!!

Obrigada por fazerem parte desta viagem!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 40 | Carnaval

Reconheço que não sou fã do Carnaval. Ou, pelo menos, não de toda a euforia e agitação que o sambódromo do Brasil nos transmite. Mais facilmente me identificaria com o belíssimo Carnaval de Veneza.
Estando em Portugal, o que eu gosto no Carnaval é algo mais egoísta: a pausa e o merecido descanso.
Logo... a entrar numa de disfarces e fantasias, apostaria em algo que combinasse com o meu espírito carnavalesco.

Gordas das Redes Sociais | Instagram para distúrbios de personalidade

Got your attention?!
Ok...talvez distúrbios de personalidade tenha sido um exagero... mas para quem tem mais do que uma conta no Instagram, a notícia é muiiiiito boa!
Finalmente, podemos ter as duas (ou mais) contas que possuímos no Instagram em simultâneo! Já estão a dar pulinhos de alegria?! Já estão mentalmente a organizar que fotos vão para onde??? Hum??!
Para aqueles que estão a receber a notícia fresquinha, fresquinha, ficam a saber que o procedimento é muito simples: acedem às definições e cá para baixo, nas catacumbas do menú, terão a opção "Adicionar conta". É fazer o login e voilá... duas ao mesmo tempo!
Se repararem, na barra inferior da vossa app, mesmo ao cantinho (como podem ver abaixo), surge a foto da conta que está ativa; para alterarem, basta premir sobre a foto 2 segundos e terão a oportunidade de mudar para a outra conta.

Sentem-se muito mais felizes, certo?!
De nada.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 39 | Segundábado

Gosto destas segundas (tão raras) que sabem a sábado. Em que o tempo passa lentamente, como quem não tem pressa.
E fazemos coisas diferentes. Ou simplesmente não fazemos.

Dose de motivação #36

De vez em quando surge uma segunda-feira destas...e sabe tãooo beeeem!

Follow Instagram @atcandyland

domingo, 7 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 38 | Agora chora!

(de mim para mim)
O sábado foi muito bom, não foi?! Agora sofre e sente o peso das toneladas de chocolate a atrasarem-te o passo (que já por si é uma miséria).

Só vos tenho a dizer que não há bocadinho de mim que não me doa... E que depois deste sacrifício matinal, fui almoçar a casa da avó.

Hoje foi dia de cozido à portuguesa.

sábado, 6 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 37 | Chocolate

Para quem acompanhou o Instagram, não é novidade que hoje foi dia de dar lugar à fraqueza e entregar-me à perdição... Chocolate em Lisboa, mais precisamente no Campo Pequeno!
Deixo-vos esta foto, tirada antes de estar condenada a todos os pecados: chocolate branco, de leite, negro, com 70%, com 90% (muito bom!), brigadeiros, bombons, bombocas, estátuas de 1,70 cm, gente (verdadeira) a habilitar-se a levar uma trinca...
Enfim, sou uma fraca! Agora só me resta o autoflagelo violento e chorar baba e ranho!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 36 | Mimos

Tenho uma profissão de carácter altamente emocional, em que as relações afetivas são uma parte fundamental do processo.
E, por vezes, as demonstrações de carinho surgem em pequenos gestos...como uma sobremesa. Hoje tive direito a uma muito especial.
Há mimos realmente únicos.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 35 | Boys will be boys

Pode parecer repetitivo, mas não deixa de ser o grande momento do meu dia.
Mais um "até já". Chegou a vez dos meus rapazes, que finalmente vão trocar a sala de aula pelo mundo do trabalho que os espera lá fora.
Que seja um caminho repleto de sucessos.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

#omeuanoemfotos 33 | TV ao vivo

Que a expressão dramática é a minha praia, já não é segredo. Que sou defensora desta estratégia em sala de aula, seja qual for a área, também não é novidade. E hoje, mais uma vez, fui presenteada com um grande espetáculo.

A teoria determinou que se falasse dos meios de comunicação, nomeadamente da televisão. Seria bem mais simples fotocopiar e distribuir um conjunto de informação; depois, a tradicional ficha para determinar se tudo tinha sido bem decorado (ou copiado, conforme o artista); por fim, trabalho feito e partia-se para outra. Seria bem mais simples, mas não era a mesma coisa.

Falou-se de televisão, sim. Partilhámos ideias, questionámos, refletimos sobre o que se passa dentro daquela caixa mágica que todos temos em casa. Em seguida, um desafio: criar um programa de 15 minutos. As minhas pérolas organizaram-se e começaram a planificar: temáticas, conteúdos, alinhamento, material... Tudo parece tão natural (e real) quando acontece fora do papel!

Hoje foi dia de executar e também aqui o rigor não faltou: de vários sacos (incluindo o meu) saltaram balões, perucas, microfones, camisas, gravatas, óculos, suspensórios, chapéus... Para além do rigor, muiiiita criatividade: noticiários, comentadores, meteorologia, trânsito, concurso de talentos, debates desportivos, entrevistas... Hoje tive oportunidade de ver televisão ao vivo e diversificada!

Gosto quando não ficamos agarrados apenas à tábua da teoria.
Gosto quando a aprendizagem se faz assim, com risos e sorrisos e em conjunto.
Gosto quando a aula chega ao fim, mas ninguém reparou no tempo.
E gosto tanto quando a expressão dramática cumpre o seu papel transversal e faz uma visita à minha sala.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...